Procura

agosto 4, 2011 at 11:09 pm (Coisas do Coração, Outros)

 

 

Andar, andar, andei
Eu procurei por toda parte
Não encontrei um só lugar
Em cada porto e cidade não vi você.

No mar, o mar, o mar,
Eu naveguei por tanto mar
E naufraguei ao acreditar
Que a solidão do imenso mar
Trouxesse a paz.

Pensei que encontrando você talvez
Toda tristeza do mundo que sei
Fosse embora num segundo eu achei
Que bastaria você…

E eu errei,
O que eu queria já estava em mim
O céu, a terra, você, enfim…
Todo esse tempo que percorri
Era o que procurava,
Não vi.

Daniel Carlomagno

 

“… buscamos… fora, no outro… do outro lado do mundo… do outro lado de nós

buscamos desatar nossos nós…

e vamos nos amarrando por ai… nos enroscando

e vai nos escapando a percepção de que simplesmente Somos…

Completos…”

Sophia Christou

Link permanente 2 Comentários

Ela e Eu

junho 22, 2011 at 12:40 am (Coisas do Coração, Outros)

Há flores de cores concentradas
Ondas queimam rochas com seu sal
Vibrações do sol no pó da estrada
Muita coisa, quase nada
Cataclismas, carnaval
Há muitos planetas habitados
E o vazio da imensidão do céu
Bem e mal e boca e mel
E essa voz que Deus me deu
Mas nada é igual a ela e eu
Lágrimas encharcam minha cara
Vivo a força rara desta dor
Clara como o sol que a tudo anima
Como a própria perfeição da rima para amor
Outro homem poderá banhar-se
Na luz que com essa mulher cresceu
Muito momento que nasce
Muito tempo que morreu
Mas nada é igual a ela e eu

Caetano Veloso

… e eu que poderia jurar que essa letra era de Lupcínio Rodrigues…
enfim… é dele… Caetano… que eu adoro…

Recebi como um presente…
Receba como um presente, afinal não há nada diferente de presente
Não há o que passou, nem o que há de vir….
`Tudo` simplesmente É…
Em mim, em você… sempre

Sophia Christou 

Link permanente Deixe um comentário

Feita pra acabar

maio 17, 2011 at 8:20 pm (Outros, Vídeos)

Quem me diz
Da estrada que não cabe onde termina
Da luz que cega quando te ilumina
Da pergunta que emudece o coração

Quantas são
As dores e alegrias de uma vida
Jogadas na explosão de tantas vidas
Vezes tudo que não cabe no querer

Vai saber
Se olhando bem no rosto do impossível
O véu, o vento o alvo invisível
Se desvenda o que nos une ainda assim

A gente é feito pra acabar

A gente é feito pra dizer
Que sim
A gente é feito pra caber
No mar
E isso nunca vai ter fim

Marcelo Jeneci

 

Link permanente Deixe um comentário

Mar

maio 9, 2011 at 8:18 pm (Hinos, Outros)

Vi chegar do mar
Onda que vai
Pra longe levar
E lá me lembrar
De onde vim
Pra onde eu vou

Ah luz dessa estrela
Carinho tão doce
Na água a brincar
A me transformar
Em céu
Em vento
E mar

Gustavo Martini

Link permanente Deixe um comentário

Orar e Meditar

abril 25, 2011 at 10:47 pm (Meditação, Outros)

“Quando você reza, Deus escuta.
Quando você medita, Deus responde.”

 

Em outras palavras…

Quando você reza, entende que existe um Deus fora, que pode lhe ajudar a resolver seus problemas… você reza e acredita que ele te escute. A separação é clara, a distância se faz presente. Se existe a distância, existe a possibilidade da solidão, do Medo de ficar só, do Medo da morte e de tantos outros Medos.

Quando você medita, entende que Deus está em você, que não há diferença entre você e “Ele”, e que só você pode resolver seus problemas, fazer suas conexões, ter suas compreensões e colocar em prática seus insights!

Por isso Deus responde…Porque você responde… Porque a Integração foi compreendida! Na Integração, não há mais espaço para o Medo prevalecer… Você não está mais só, você está completo!

 

No mergulho interior da meditação, descobrimos o Universo que Somos, O Ser que Somos, a Vida que Somos com todo o seu potencial Infinito e Eterno!

A idéia de separação é apenas mais uma ilusão!

A algo de errado em orar??? Não!

Mas há um grande equívoco na idéia da separação. E esta ilusão pode nos custar muito caro!

Marco Aurélio

Retirado do Blog: http://gruponossacasa.wordpress.com/2011/04/21/orar-e-meditar/

Os dizeres entre aspas também foram encontrados no Blog: http://meditacaoeyoga.blogspot.com/

Link permanente Deixe um comentário

Simplesmente

março 24, 2011 at 10:05 pm (Outros, Vídeos)

“…um recado na tarde
uma simples saudade

…uma simples certeza…
que agora é você quem espera por mim…”

Link permanente 1 Comentário

A Sorrir

fevereiro 25, 2011 at 7:30 pm (Outros)

A sorrir eu pretendo levar a vida
Pois chorando eu vi a mocidade perdida…

Cartola

 

É melhor ser alegre que ser triste
A Alegria é a melhor coisa que existe…

Vinicius de Moraes

 

O sorriso e a alegria são expressão
Da leveza e fluidez

Sophia Christou

  

Link permanente Deixe um comentário

Passagem

fevereiro 15, 2011 at 7:37 am (Hinos, Outros)

 

No limiar entre Luz e Ilusão

Passar o Portal
E renascer
O Todo é Santo
Sentir é o Ver

E no vazio Vida me inunda

O céu se abre
Terra também
E ao convite
Eu dito Amém

A negra noite, o claro dia

Ciclos sem fim
Vida a viver
Ser a sorrir
Eterno Ser

Brilhar a Estrela lá no alto do céu

A Perfeição
E a Pureza
A Alegria
Tanta Beleza

Gustavo De Martini

Link permanente Deixe um comentário

O silêncio fluindo é Amor

janeiro 27, 2011 at 9:33 pm (Meditação, Outros, Poemas)

O Silêncio fluindo é Amor

O Silêncio compartilhado é Graça

O Silêncio visto é o próprio Infinito

O Silêncio vibrante é a Criação

O Silêncio expressado é a Beleza

O Silêncio mantido é Força

O Silêncio permitido é Descanso

O Silêncio permeado é Alegria

O Silêncio recebido é a Gratidão

O Silêncio percebido é o Saber

O Silêncio sozinho sou Eu

O Silêncio… Ah… Só o Silêncio é Deus

O Silêncio se movendo é o Oceano da Vida

O Silêncio permanente é o Ser

O Silêncio em busca do Silêncio: o Buscador

O Silêncio realizado… O Mestre

O Silêncio escondido; o Poeta.

O Silêncio germinado; O Mundo.

O Silêncio pleno é óbvio; Você!

Venha pra casa… O Silêncio é o Lar

É o próprio Coração

Anand

Link permanente 1 Comentário

Uma loucura de Anjo

janeiro 26, 2011 at 8:53 pm (Coisas do Coração, Outros)

E de repente
A porta abriu-se,
O mar entrou
Quando eu te disse: “Louco…”.
E num instante
O mundo pára,
O sono agarra
Os teus passos de Anjo,
Como se fossem silêncio,
Os teus passos de Anjo.

E num momento
Invento histórias,
Conto mentiras
Já sem memória.
E só o sangue
Esconde as palavras
Que o sono empurra para
Os teus dedos de Anjo,
Como se fossem segredo,
Os teus dedos de Anjo.

Adormeces então devagar,
E nos teus braços
Há sempre lugar.
Deito-te comigo neste chão,
Sinto que respiram
Por entre as mãos
Os teus olhos de Anjo,
Como se fossem eternos,
Os teus olhos de Anjo,
Os teus olhos de Anjo.

A cada minuto
O tempo foge,
Quero dizer-te
Que não demores.
Rimos os dois,
Como quem ri da tristeza,
Em cada abraço
Uma loucura de Anjo,
Como se fosse sagrada,
Uma loucura de Anjo.

Por essa estrada
Não vejo o chão,
Vejo que a noite
Cresce na mão.
E se isso é céu,
E estrelas do mar,
Então sou teu
Nesse choro de Anjo,
Como se fosse secreto,
Esse teu choro de Anjo.

Adormeces então devagar,
E nos teus braços
Há sempre lugar.
Deito-te comigo neste chão,
Sinto que respiram
Por entre as mãos
Os teus olhos de Anjo,
Como se fossem eternos,
Os teus olhos de Anjo,
Os teus dedos de Anjo,
Como se fossem silêncio
Os teus passos de Anjo,
Como se fossem sagrados,
Nesse teu choro de Anjo,
Como se fosse secreto…

Pedro Abrunhosa

Link permanente Deixe um comentário

Next page »