Amor de Mãe

maio 26, 2012 at 12:28 pm (Coisas do Coração)

 

“Lá vai minha filha quase voando no seu vestido etéreo.

Lá vai minha filha de olhos amendoados e pele macia. A menina que estreou a mãe em mim. A menina que chegou trazendo todo um universo de novidades: emoções, medos, encantamentos, aprendizados.

Crescemos juntas: eu aprendendo a ser mãe e ela aprendendo a ser ela mesma. Descobrimos duas palavras mágicas: ela me chamou mãe e eu a chamei filha. Palavras novas e tão viscerais que pacientes esperavam para se cumprir.

Éramos duas sendo uma em muitos sentidos. Carne da minha carne, fruto do meu amor, sonho dos meus sonhos. Ela me expandia e eu a protegia. Ela me dava a mão e eu todos os sumos. Ela me dava a eternidade e eu lhe dava asas. Ela me alargava o coração e eu lhe ensinava a caminhar sozinha. Ela me cobria de beijos e eu a cobria de bênçãos. Ela me pedia colo e eu lhe pedia sorrisos. Ela me traduzia e eu a decifrava. Ela me ensinava e eu lhe descortinava o mundo. Ela me apontava o novo e eu lhe ensinava lições aprendidas no passado. Ela me falava de fadas e princesas e eu lhe falava de avós e gentes. Ela me emprestava seus olhos encantados e eu rezava por um mundo melhor. Ela me tirava o sono e eu cantava para ela dormir. Ela me alegrava a vida e eu vivia para ela.

Quando um filho nasce começamos a nos despedir dele no mesmo instante. Nosso ele só é quando no ventre. Depois somos seus abrigos, seus condutores, seus provedores sem nunca esquecer que eles começam a ir embora no dia que nascem. No começo o tempo parece parar. A plenitude da maternidade e a dependência dos pequenos criam uma ilusão de que será assim para sempre. Mas não, eles crescem inexoravelmente em direção à independência.

Cumpre-se o ciclo da vida e é melhor que seja assim, caso contrário, significa que algo de muito triste, inverso ou perverso aconteceu.

 

Lá vai minha filha. Assim seja. 

Olho seus olhos profundos e vejo os mesmos olhos que ainda na sala de parto me olharam intrigados, solenes, como que me reconhecendo, me convocando. Eu disse `sim` à minha filha, imediatamente, a segui desde aquele instante, entregue, eleita. O amor que eu senti foi tão avassalador e instantâneo que eu cheguei a ter medo. Sim, na hora que nasce o primeiro filho, a gente compreende a fragilidade da vida, a fugacidade das coisas e a passa a ter medo de morrer. O fato dela precisar de mim me tornava única, imprescindível. Eu não podia falhar, eu não podia morrer, afinal foi ela quem me escolheu. A partir dali, tudo mudou, meu espaço, meu papel, minha relação com o mundo adquiriu outra dimensão: eu era sua mãe!

Crescemos juntas. Somos amigas. Mãe e filha. Ao longo desses anos rimos, choramos, brigamos, resolvemos impasses, estreitamos laços, vencemos batalhas, enfrentamos noites escuras. Contamos uma com a outra, sempre. Às vezes era eu quem a socorria outras vezes era ela quem me amparava. Não foram poucas as vezes em que os papéis se inverteram e ela foi minha mãe. Às vezes me pergunto se eu dei a ela tanto quanto recebi. Sinceramente, acho que não. Desde o momento zero ela transformou minha vida e, num movimento contínuo, faz de mim uma pessoa melhor.

Lá vai minha filha. Apaixonada e confiante. Ensaiando vôos, escolhendo caminhos, encerrando ciclos.

Eu feliz, penso: cumpra-se!”

Texto da Internet
Presente da minha mãe terrena, de carne, ossos e muito coração
Da minha amiga e querida mãe Arlete

“Lá vai minha filha…

com quem tentei aprender a ser mãe…
brincando e entendendo melhor a vida…
a vida é um constante aprendizado…
e muito melhor com a visão de uma criança amada!”

beijinhos,

Mãe

“Sou grata por ter tido esta benção e ter nascido de um corpo lindo e de um coração de inocência, de ter sido aceita e recebida com todo o Amor que alguém pode ter…

Me lembro em seu peito, me alimentando e te olhando nos olhos… sem palavras trocamos toda uma cumplicidade de Amor Maior

Em Amor,

Sua filha”

 
 

Link permanente 4 Comentários

A canção que faltava

maio 22, 2012 at 10:44 pm (Coisas do Coração, Vídeos)

É preciso agradecer

Louvar e agradecer

Me alegrar e espalhar essa alegria que veio morar dentro de mim

Agradecer dormir e acordar ao teu lado

Sonhar e despertar com você

Seguir sem os nós do passado

E comungar do Um em nós como Ser

 

E este é o poema que poderia ter eu te escrito

A nossa canção que faltava…

Te Amo!!!

Sophia Christou

Dedico esta canção de Isabella Taviani ao meu amado companheiro, porque quando a gente está amando é bom demais um pouco de romantismo!!!

 

 

 

Link permanente Deixe um comentário

Kalahari

maio 21, 2012 at 9:17 pm (Insights, Vídeos)

 

Porque a Pureza está no que Somos e não no que temos…

Porque tudo o que julgamos ter é ruído do ego

Não existe, é ilusão nos distraindo

A Pureza está no que poderiamos Ser

Sem pensamento

Sem julgamento

Sem questionamentos

Apenas no Silêncio

E na Harmonia

Com o meio

Pois não há meio ou partes

Há `inteireza`

O Um, que não diferencia

Sem medo

Plenitude..

Sophia Christou

Link permanente Deixe um comentário

Pai Nosso em Aramaico

maio 10, 2012 at 8:29 pm (Orações)

Avunan d’bishmaya
Yeticadash sh’mach
Tite malcutach
Yehie sevionach
Heicama d’bishmaya af bar’a
Hab lan lachma
D’sunchanan yaomana
U’ashvuk lan hoveinan
Heicama d’af enan
Shbaknan lichayoveinan
Ula T’ilan linissiuna
Ela patsian min bishta
Mitul dilach’hi malcuta
U’cheila u’teshbuchta
L’alam almin
Amiyn

“Que todos os seres despertem!!!”

Vamos fazer a nossa parte, o que está ao nosso alcance

Não se canse, mas também não tente fazer a parte que cabe a outros para poupá-los

Isso iria apenas te distrair de fazer o que lhe cabe

Iria tirar você do agora, de estar consciente

Esteja atento…

Ajudar o próximo não é sentir pena e colaborar com alguém que você julga inferior a você

Ajudar o próximo é olhar pro teu lado, pro teu sangue, pros teus irmãos gerados no mesmo ventre

É sentir compaixão quando vê que estão fora de sintonia

É auxiliar com tua serenidade

É ter compaixão de Si próprio e se perdoar pelos pensamentos

contaminados da insanidade que te violou

Amar sem esperar em troca

Esta é a mensagem do Grande Mestre Jesus

Pois somos partes de um mesmo Eu

Uma porção De_Eus

E só o Amor é a poção mágica da União

Da completude

Reconhecer a nós mesmos em todos os que chamamos de outros

E termos compaixão por estarmos, ainda, na condição humana… inerte

Vamos despertar!!!

Cada parte De-Eus que despertar

É algo Maior que se Revela

Amém

Amem!!!

Sophia Christou

(dedicado aos meus irmão de sangue)

Link permanente 1 Comentário

Krishna

maio 9, 2012 at 11:24 pm (Mantras)

“Bhaja Sri Krishna Chaytania
Prabhu Nytiananda
Sri Advaita Gadadhara
Srivasadi Goura Bhakta Vrinda”

 Ao vibrar este mantra o cardíaco se manifesta num tom de rosa iluminado por um brilho prateado…

A delicadeza traduz a beleza de Krishna por nuances de som em gotículas de Luz

Que permeia… e expande…

Me curvo num pronam que se desfaz com meus olhos para o céu…

Para abrir o peito em flor e espalhar todo o Amor que brota…

(isto é o que sinto ao vibrar este Mantra… sem traduções do que entendemos com a mente… apenas a tradução dos sentimentos)

Sophia Christou

Link permanente 2 Comentários