É Lá

abril 26, 2012 at 9:32 pm (Hinos, Natureza Mãe)


Hino de Denise Beltran
na voz de Denise Beltran e Nei Zigma

Este hino muito me inspirou a sair voando e a mergulhar pelas minhas buscas,
Na ânsia do desconhecido que sabia conhecer, mas não conseguia me recordar…
Era a lembrança que vinha apenas no coração e não na memória
De quando se quer entender com a mente…

Mas só no silêncio podemos abarcar… esse desconhecido em consciência
Voltar a sentir a completude
E não precisar mais de palavras, pois o entendimento cala fundo na alma

Parti, em busca da floresta sem perceber que o sagrado verde habita na saúde de meu corpo sã
Parti, em busca do azul sem poluição, do céu pintado de estrelas na beira de um rio na Amazônia
Mas azul são os olhos da alma da amada natureza feminina em mim
Parti, em busca do ouro que nos faz entender e acordar
Mas de dourado me visto ao reconhecer num outro Eu minha própria essência…

Voltei

Aqui estou
No presente do Lá que hoje sinto como Aqui, mesmo quando tenho a certeza de Lá estar…
Do outro lado da tela, unida ao que nunca deixei de Ser!

Amor!

Sophia Christou

Link permanente 2 Comentários

Complemento Divino

abril 18, 2012 at 8:42 pm (Luz, Poemas)

entre aqui e ali estamos

ora eu, ora você

outra

 nem sabemos mais quem somos

 és meu reflexo

 és meu espelho

vemos em nós

o lado de dentro

pelo portal de nossas almas

entrelaçamos

o que nos era esquecido

da eternidade no hoje

da busca que cessou no encontro

do encontro que nos faz buscar

rumo ao que nunca deixamos de Ser

…Complemento Divino

Sophia Christou

Link permanente 1 Comentário

Conexão

abril 13, 2012 at 8:24 am (Expansão de Consciência, Poemas)

Vem
Pode chegar
Em meu coração há sempre um lugar
Pro que se apresenta de novo no aperceber

Quando abre o farol de Luz
Dos olhos da alma

E sinto

Algo igual
De mesma sintonia e vibração

É preciso fechar os olhos para ver
É preciso silenciar a mente para permitir
É preciso abrir o coração para sentir
É preciso ouvir sem palavras

E colorir o tempo com as cores do intento
E no agora fulgurar
Entremear sem formas
Levitar

`Entre eu e Deus há apenas meu esquecimento
A dor do abandono por não lembrar`

Quando estou consciente
Posso sentir, pois não há distanciamento

O Ser cresce sem forma e a tudo permeia

Sou brisa leve que paira
Espuma do mar
Oxigênio
Sou sopro de vida
Em Ti

Somos Um

Sou brilho
Intenso brilho em Luz

(aconteceu novamente, sem mente, sem condução… apenas o mestre coração no comando…)

Sophia Christou

Link permanente 2 Comentários