Alma Nua

março 13, 2012 at 10:26 pm (Orações, Vídeos)

 
 

Ó Pai
Não deixes que façam de mim
O que da pedra tu fizestes
E que a fria luz da razão
Não cale o azul da aura que me vestes
Dá-me leveza nas mãos
Faze de mim um nobre domador
Laçando acordes e versos
Dispersos no tempo
Pro templo do amor
Que se eu tiver que ficar nu
Hei de envolver-me em pura poesia
E dela farei minha casa, minha asa
Loucura de cada dia
Dá-me o silêncio da noite
Pra ouvir o sapo namorar a lua
Dá-me direito ao açoite
Ao ócio, ao cio
À vadiagem pela rua
Deixa-me perder a hora
Pra ter tempo de encontrar a rima

Ver o mundo de dentro pra fora
E a beleza que aflora de baixo pra cima
Ó meu Pai, dá-me o direito
De dizer coisas sem sentido
De não ter que ser perfeito
Pretérito, sujeito, artigo definido
De me apaixonar todo dia
De ser mais jovem que meu filho
E ir aprendendo com ele
A magia de nunca perder o brilho
Virar os dados do destino
De me contradizer, de não ter meta
Me reinventar, ser meu próprio Deus
Viver menino, morrer poeta

Vander Lee

 

“Ganhei de presente da Rute, essa música… dizendo ter ouvido e afirmando ser minha cara…

Grata, Rutinha, pelo carinho, pela lembrança e especialmente pela sensibilidade! Essa letra não é tão somente minha cara, é meu cardíaco, meu jeito e minha alma… você acertou!

Uma oração! Um pedido pra poder ser quem Sou… sem compromisso…

Sophia Christou

 

Link permanente 1 Comentário

Música Interior

março 11, 2012 at 7:53 pm (Expansão de Consciência, Poemas)

 

Ouço uma música dentro de mim

Desde que despertei no dia de hoje

São vozes sem letras ou idioma

Sem palavras

Não dizem algo a minha mente

Toca em meu coração e além dele

Toca a alma, algo de mim que tenho consciência

Mas desconheço como algo definido

É uma amplidão do meu ser

 

Ouço uma música dentro de mim

Desde que despertei no dia de hoje

São sinos que soam além do metal que ressoa

Mas do ar que faz vibrar

Não levam vibrações ao meu ouvido

Toca em meu coração e além dele

Toca a alma, algo de mim que tenho consciência

Mas desconheço como algo definido

É uma amplidão do meu ser

 

Ampliando a percepção

Do som

Do som que brota, que toca dentro de mim

Além de mim

 

Ouço com os ouvidos da alma

As vozes e sinos que Sou quando em ressonância

Com meu Ser Maior

 

Sophia Christou

Link permanente 1 Comentário

Morte

março 6, 2012 at 10:45 pm (Insights)

(em referência à 14/01/2012)

… e foi a partir daquele dia mesmo
o dia que havia sido anunciado
aquele que fora entendido, de certa forma, como `morte`
que algo de mim se transformou, morreu…
deixou de ser o padrão há muito adotado
algo que teve o Divino como condutor
à Luz da verdade interior
a mudança para nova sephirah
encerrando um ciclo
obscuro… de tentar
permanecer na impermeabilidade
cedendo ao `novo`
ao recomeço
Te reconheço em mim
somos no caos a Perfeição
homem e mulher
no complemento
espírito e matéria
em elevação

Revelou-Se

Sophia Christou

Tarô de Eduardo Vilela

Link permanente Deixe um comentário