Alguns de Nós

outubro 13, 2011 at 12:30 am (Insights)

Em Terra somos tão diferentes

Etnias
Culturas
Vestimentas
Comportamentos
Dia-a-dia
Idiomas
Valores
Feições
Continentes

Apenas a vibração é a mesma

Perceptível à distância
Ao tempo
Aos conceitos de real
De matéria
Ou além dela

Sentimos em Luz e Certeza
E vamos nos perfilando

No vão do tempo-espaço onde Somos

Em rumo do Portal onde sabemos
Nos reconhecendo como nós próprios
Gemas do mesmo ovo
Antes da partição

As trombetas soam em nossos ouvidos internos
Seguimos
Para a nova oitava

Alguns de nós…
Tão iguais

Sophia Christou

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Lua da Beleza

outubro 11, 2011 at 11:06 pm (Poemas, Sagrado Feminino)

Salve Lua da Beleza

Na grandeza a guiar

Salve a realeza

Que realiza e faz girar

Mostra inteira o despertar

Na noite quente

Traz o amor ardente

Da sedução a celebrar

Sophia Christou

 

Link permanente Deixe um comentário

Quando fui Chuva

outubro 9, 2011 at 11:27 pm (Coisas do Coração)

 
Quando já não tinha espaço, pequena fui
Onde a vida me cabia apertada
Em um canto qualquer,
Acomodei minha dança, os meu traços de chuva
E o que é estar em paz
Pra ser minha e assim ser tua

Quando já não procurava mais
Pude enfim nos olhos teus, vestidos d’água,
Me atirar tranquila daqui
Lavar os degraus, os sonhos, as calçadas

E, assim, no teu corpo eu fui chuva
… jeito bom de se encontrar!
E, assim, no teu gosto eu fui chuva
… jeito bom de se deixar viver!

Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca

E, mesmo que eu te me perca,
Nunca mais serei aquela que se fez seca
Vendo a vida passar pela janela

Maria Gadú

 

 

Quando criança fugia tomar banho de chuva…
Encantada com a água vinda do céu
Do brilho das gotas brilhando com o sol como estrelinhas prateadas
Chegando até meu rosto, escorrendo pelo meu corpo na sensação tão familiar da água
Em emoções… sem saber muito deste mundo, era assim que eu me encantava quando criança…

Há pouco… sem espaço pra ser a amplitude do que Sou
Vivendo essa imensidão pra dentro, dentro dos meus sonhos, das minhas crenças
Vivendo a água das emoções em minha represa…

Enfim… a chuva…
Desaguei em teus olhos e voltei a ser novamente o brilho das gotas…
Na amplitude do amor

Sophia Christou

 

Link permanente Deixe um comentário

Constelação

outubro 6, 2011 at 9:42 pm (Poemas, Sagrado Feminino)

O Sol pode esconder o brilho das estrelas

Mas elas sempre estarão compondo a constelação

A constelação que é possível de se ver

Numa bela noite de Lua

Regendo a sinfonia da Terra

Onde se compõe em água, as emoções

Sol, tua missão era apenas a de fazer germinar

Das flores cuidar, num lindo jardim

De faces, de histórias, de dores e de amores

De nomes, que os trago no peito:

Adriana, Valéria, Clara, Denise, Jac, Melina, Thiane, Inaiá, Camila, Priscila, Oriana, Paulinha, Rebeca, Marjorie, Carlota, Thamy, Taty, Ivini, Cléo, Patricia, Devadassi, Cida, Eymar, Chantao, Erika, Helaine, Lili, Marcia, Cristiane, Maridete, Nayana, Nara, Sonia.

Sophia Christou

Link permanente 1 Comentário